A saúde do motorista de frota é muito importante pois, são horas sentados, trocando marchas, dirigindo pelas estradas. Esta é a realidade dos caminhoneiros, cuja maioria no Brasil trabalha até 9 horas por dia e 7 dias por semana. Os dados são da pesquisa “Perfil dos caminhoneiros”, publicada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT). Consequentemente, a atividade pode prejudicar a saúde do motorista, causando doenças que podem se agravar e afastar o profissional.

Enquanto “conhecer novos lugares” é o que mais agrada os motoristas quanto à profissão, o estudo revela que os profissionais consideram suas rotinas perigosas e inseguras. Portanto, é preciso que transportadoras cada vez mais se atentem às condições de saúde de seus motoristas. Afinal, são estes dedicados colaboradores os responsáveis por movimentar toda a mercadoria e fazer o negócio rodar. Veja o gráfico abaixo:

Gráficos realizados a partir da pesquisa da CNT (Fonte: Jornal Nexo)

Pensando nisso, nós, do Grupo Solo, selecionamos as doenças mais comuns em motoristas de frotas. Assim, abordaremos abaixo como preveni-las, identificar sinais e porque o seguro de vida a motoristas é a solução mais eficaz para transportadoras.

Por que a saúde do motorista é tão afetada?

Outra pesquisa, desta vez feita pela concessionária Rota do Oeste, mostra que:

  • 65% dos motoristas de frotas têm a circunferência abdominal maior que 94 cm;
  • 35% têm sobrepeso;
  • 33% têm colesterol alto;
  • e 11% estão com índices de diabetes por hiperglicemia.

Estudos como este e da Confederação Nacional de Transporte (CNT) apontam para as péssimas condições ocupacionais de motoristas. Tais condições trazem, portanto, sérios prejuízos para a saúde destes profissionais.

Muitos não praticam atividades físicas. Ou mesmo não realizam alongamentos ou se alimentam corretamente. Estes maus hábitos, decorrentes da pressão pela rápida entrega de cargas, resultam em doenças que podem causar o afastamento e até mesmo a morte destes colaboradores.

5 principais doenças que afetam a saúde do motorista

Diabetes

O que causa: O diabetes é causado pela deficiência de produção ou ação de insulina no organismo.

Sintomas: Tremedeiras, falta de equilíbrio, perda de coordenação, tontura, sonolência e visão embaçada. Estas situações podem levar os motoristas a perderem o controle da direção e sofrerem graves acidentes.

Consequências: Crise de hipoglicemia (baixo nível de açúcar no sangue) ou hiperglicemia (alto nível de açúcar no sangue).

Colesterol

O que causa: O aumento do nível de colesterol no sangue ocasiona excesso de gordura nas paredes das artérias. Ou seja, há maior gordura nos vasos que levam sangue aos órgãos e tecidos do corpo, o que causa arteriosclerose.

Sintomas: O alto nível de colesterol no sangue não costuma apresentar sintomas. É identificado com exames laboratoriais. Porém, alimentos como gema de ovo, bacon, manteiga, creme de leite, salsicha e frituras costumam ter grande quantidade de colesterol.

Consequências: A arteriosclerose pode causar dores no peito e até infarto. Caso ocorra acúmulo de gordura nos vasos das artérias cerebrais, o motorista pode sofrer derrame

Hipertensão

O que causa: A hipertensão acontece devido aos altos níveis da pressão sanguínea nas artérias. Isso faz com que o coração tenha um maior esforço para bombear sangue ao corpo.

Sintomas: Apenas aparecem quando a pressão já está bastante alta. Os principais sintomas são dores no peito, dores de cabeça, tonturas, zumbidos no ouvido, visão embaçada e fraqueza.

Consequências: A hipertensão não tem cura. Contudo, pode ser controlada a partir de medicamentos a serem tomados durante toda a vida. A melhor prevenção é manter uma vida mais saudável: manter o peso adequado, alimentação saudável, praticar exercícios, não fumar, diminuir consumo de álcool, evitar alimentos gordurosos e dormir no mínimo 8 horas por dia.

LER (Lesões por esforço repetitivo)

O que causa: LER é um conjunto de doenças que atingem, especialmente, os músculos, nervos e tendões. É causado por movimentos repetitivos e contínuos, como é o caso de motoristas de frotas.

Sintomas: Tendinites, dores nas articulações e músculos.

Consequências: Podem ocorrer luxações, sérios danos aos tendões e até perda de movimentos. Por isso é importante que não haja esforço excessivo, más condições de trabalho e má postura.

Estresse

O que causa: O estresse eleva os níveis de cortisol na corrente sanguínea e pode ser causado por diversos motivos. Normalmente tem sua origem em desgastes mentais e que acabam resultando em problemas físicos também.

Sintomas: Sensação de medo e desconforto, mudanças de humor repentinas. Irritação, preocupação, frustração e ansiedade constantes. Queda de cabelo, tontura, dor de cabeça.

Consequências: Alergias, tensões musculares, insônia, transtornos alimentares, prisão de ventre. Em casos mais graves, o estresse leva à depressão e até mesmo a suicídio.

A importância do seguro de vida

O Grupo Solo observou que a produtividade, satisfação e saúde dos motoristas de frotas aumentaram após a aplicação de seguro de vida pelas transportadoras. Afinal, o colaborador se sente mais valorizado e confiante de amparos à sua família em casos de acidentes ou morte.

Para as transportadoras, o seguro de vida a motoristas cobre invalidez permanente e morte de qualquer natureza. Assim, inclui rescisão contratual em caso de falecimento, bem como cestas básicas e auxílio funeral às famílias. Além disso, a contratação de planos coletivas resulta em melhor custo-benefício à transportadora e tem sido uma tendência no ramo.

Mas atenção: cuidado com seguros de vida oferecidos por instituições financeiras e barganhas. Estas empresas não costumam se preocupar de fato com a família dos motoristas e deixam as transportadoras suscetíveis a penalidades.

Você poderá checar mais detalhes em nosso vídeo:

https://www.youtube.com/watch?v=EnlsJmzbJGE&feature=youtu.be

Caso tenha alguma dúvida sobre como garantir os direitos de seu motorista bem como preveni-lo de riscos relacionados à saúde, entre em contato conosco.